Entrevista com o Prefeito João Gomes

18.5.16

No Giro do Portal Anápolis, Fausto Costa, Roberto Lara e Lucieni Soares entrevistaram o Prefeito de Anápolis João Batista Gomes Pinto, natural de Silvânia Go, casado com a Srª. Lucimar dos Santos Gomes e pai de três filhos. É empresário da área de Lazer e do setor de distribuição de produtos em geral. Dentre suas diplomações de relevância para a vida pública podemos destacar sua formação em bacharelado em Ciências Sociais em 1998, pela Faculdade de Filosofia Bernardo Sayão e os cursos de Gestão Pública e Pós Graduação em Gestão Pública ambos pela Universidade Estadual de Goiás. O cidadão João Gomes é atuante das repartições públicas de Anápolis e região há trinta anos, ocupando hoje o cargo de Prefeito desta cidade.

Abaixo a íntegra da entrevista dada a Fausto Costa e Roberto Lara falando de sua trajetória política nos últimos anos e suas perspectivas em relação ao vigente ano de 2016.

Fausto Costa: Fale um pouco de sua trajetória e chegada à Prefeitura de Anápolis.

João Gomes: Trabalhei na secretaria de infraestrutura de Senador Canedo, cujo Prefeito era Vanderlan Cardoso, fizemos um trabalho muito bacana dentro desta secretaria que na verdade acumulava outras cinco secretarias. Na época dividíamos a mesma sala com o então prefeito, para despacharmos, foi gratificante este envolvimento. Em 2006 voltei para Anápolis com a finalidade de fazer campanha para Deputado Estadual, mas desisti, fui fazer um curso na UEG em Gestão Pública, me formei e em 2008 meu nome foi cogitado para ser coordenador da campanha a prefeito de Antônio Gomide, porém o vice dele por motivos pessoais desistiu, tendo assim sido convidado a participar do pleito no qual a campanha tomou uma envergadura positiva e nós ganhamos as eleições. Então é um trabalho de Deus nos preparando, uma missão, Deus prepara cada um para uma tarefa e a minha foi essa.

Fausto Costa: Para este ano de 2016, com o restante do mandato o que ainda pode ser inaugurado e feito em seu governo em termos de obras e planejamentos?

João Gomes: A cidade tinha muitas demandas ao longo de sua história, então desde 2009 quando assumi como vice-prefeito, fizemos um planejamento muito grande para a cidade, com muitas obras realizadas, pois de 2009 a 2013 o crescimento em arrecadação de ICMS foi muito bom, mas no final de 2013 houve uma pequena queda acentuando em 2014 e despencando em 2015, com perda na arrecadação de ICMS algo em torno de 100 milhões de reais.

Fausto Costa: O que motivou isso, porquê dessa perda?

João Gomes: Nós perdemos principalmente no co-índice que é a distribuição de ICMS. Essa distribuição se dá através de um percentual que cada cidade tem de um bolo de 25% de tudo que se arrecada no Estado e a cidade de Anápolis sempre se configurou em segundo lugar, aliás, Senador Canedo teve uma época que esteve em segundo lugar e Anápolis foi para quarto, bem, voltamos para segundo e assim continuamos, Anápolis deveria estar hoje para se ter uma ideia perto de 9% desse bolo e está com 6%, Aparecida de Goiânia hoje está com quase 6% também, está em terceiro lugar mas coladinho em Anápolis que vem caindo a cada ano. Para você ter uma ideia em 2015 a arrecadação de ICMS foi menor que 2012 em torno de 10 milhões de reais, ao invés de crescer ela decresceu, em 2015 a arrecadação do Estado aumentou algo em torno de 3,8% somente, Anápolis decresceu 12% com relação a 2014, ano que nós tivemos 236 milhões de arrecadação de ICMS, em 2015 206 milhões, sendo que em 2012 nós tivemos 216 milhões, dá para ver que é uma queda razoável.

Fausto Costa: E este quadro pode ser revertido?

João Gomes: Esse é um projeto nosso, e estamos trabalhando a quatro mãos desde 2014 e graças a Deus caminha bem, estamos fechando um plano diretor que está prestes a ser aprovado na câmara, uma vez aprovado criaremos três áreas de interesse econômico na cidade nas quais pelo menos dois novos distritos que vão possibilitar a vinda de novas empresas. Nesse período de seis anos Anápolis não recebeu praticamente nenhuma empresa, enquanto que Aparecida de Goiânia recebeu 46 empresas e várias cidades goianas receberam indústria, Anápolis em função da falta de área não recebeu.

Fausto costa: Quantas empresas o DAIA tem hoje?

João Gomes: Temos mais de 100 empresas, não fechou nenhuma, elas até expandiram, o que falta é a vinda de novas empresas, o que faz que sua participação do co-índice cresça, exatamente o que adiciona crescimento de ICMS. Para adicionar novos valores você precisa de novas empresas. Enquanto que Aparecida nos últimos anos recebeu mais empresas que Anápolis em virtude de ter mais espaço, terrenos doados, algo que aqui foi inviabilizado.

Roberto Lara: Essa questão de área foi um problema de gestões passadas, a falta desses projetos foi o que afetou a expansão ou realmente teve outro tipo de empecilho?

João Gomes: Sempre quem cuidou da questão de expansão industrial é a Goiás Industrial e o Governo do Estado, acho que ouve uma falha na avaliação e um lapso temporal se discutindo muitas áreas que estão no DAIA que ainda não foram retomadas pela justiça, todavia as empresas não puderam vir, pois envolve áreas, energia elétrica, uma série de fatores.

Fausto Costa: Os prefeitos anteriores, mesmo antes do Gomide, aproveitaram bem essa época boa do DAIA, e acabou caindo na sua gestão esse ponto limite, como tem sido gerir com menos arrecadação?

João Gomes: Seguimos com muitas obras, muitos investimentos, apesar da queda substancial na arrecadação, Deus tem nos dado a vitória indiferente às circunstâncias, eu vejo a mão de Deus, por que tem nos preparado e nos capacitado para fazer uma boa gestão. Entendendo no momento as dificuldades, a queda na arrecadação, mas com bons projetos conseguimos recursos financiados, como PAC Mobilidade, para fazer grandes obras, os nossos Viadutos, os seis corredores de transportes. Inauguramos nesses 2 anos e 8 meses, novas Creches e estão em construção mais 7 Cmeis. Inauguramos 7 ginásios polivalentes cobertos em 7 novas escolas e temos mais 7 em construção, estamos expandindo várias escolas e também reformas. Inauguramos vários postos de saúde, e reformando vários outros, construção de praças, as obras não param.

Fausto Costa: Falando de saúde, fale-nos sobre a manutenção do hospital psiquiátrico.

João Gomes: O sanatório Espírita que tem um trabalho antigo, torna-se uma questão emblemática, não é uma questão nova, existe uma política do SUS, já faz muitos anos, dentro da qual essa política vem fechando muitos hospitais psiquiátricos. O sanatório Espírita de Anápolis tem mais de trezentos internados com um detalhe, somente 20% de seus pacientes são de Anápolis, os demais não, e quem está bancando é a cidade de Anápolis o que não é justo bancar pacientes que são oriundos de outros municípios.

Pactuação com Governo do Estado: A matemática que nós estamos discutindo foi feito com uma pactuação em que Anápolis e o Estado entram durante um ano com 1 milhão e duzentos mil reais, entretanto Anápolis já tinha entrado com 800 mil faltando apenas 400 mil e o Estado não tinha entrado com nada ainda, porque quando nós pactuamos ano passado, o Estado falou que até o meio do ano iria pagar o atrasado, por que nós pagamos 100% em 2014. Nós estávamos em 2015 e até o meio do ano o estado ainda não tinha pago o de 2014. E em 2015 paramos de pagar, porque parou o atendimento. Ficamos devendo 4 meses de 100 mil reais enquanto que o estado estava devendo 12 meses, então o Estado entrou agora com 600 mil reais, nós entramos com 200 mil reais, o Estado vai dar mais 600 mil reais e nós vamos fechar 1 milhão e duzentos mil reais.
O Sanatório não vai ter mais convênios separados, vamos continuar com o MAC (Média e Alta Complexidade) bancando as demandas de Anápolis, que já eram 100% bancadas, aliás, o valor que nós vamos repassar custeia mais que o dobro das demandas de Anápolis, o que o hospital vai ter que fazer é buscar junto a outras cidades uma pactuação de tal forma que esses recursos venham até de outros Estados que tenham pacientes internados.

Necessidade para a sociedade: É um trabalho magnífico que o hospital sanatório faz, reconhecemos o quão impossível seria para as famílias tratar alguns doentes que estão no Hospital de psiquiatria Sanatório Espírita em casa. Entendemos que este trabalho é fundamental, e deve continuar, por isso que nós somos parceiros. O hospital está fazendo gestão, em momento algum eles falaram em mandar paciente embora, eles estão com todos os pacientes lá. Todos nós somos obrigados a fazer gestão, trabalhar mais fazendo melhor serviço e gastando menos.
A solução veio e voltaram os atendimentos normalmente como sempre fizeram.

Fausto Costa: Prefeito o senhor é candidato natural a reeleição, como está o trabalho de articulação?, sobre o seu vice, já tem algum nome?, o vice será do PT ou de outro partido?

João Gomes: O Partido dos Trabalhadores já definiu quem é o seu pré-candidato a prefeito e lançou o nosso nome, portanto João Gomes hoje é o pré-candidato a prefeito do PT. Em 2008 o PT tentou o vice de outro partido, não deu certo, em 2012 demos a oportunidade para todos os partidos que compunha a nossa base indicar um nome, eu mesmo falei; _”Se tiver um vice que agrega mais que o meu nome eu abro mão, agora se empatar comigo fica eu mesmo”. Mas na verdade todos os partidos que compunha a nossa base se juntaram e referendaram o meu nome, então não foi uma imposição do PT.

Desta feita vamos nos juntar com os partidos que vão compor a nossa base, trabalhar um plano de meta pensando na nossa cidade, discutir a nossa cidade. Esta discussão visa um planejamento novo a partir de 2017 com esses partidos e automaticamente discutir a vice prefeitura, assim sendo um nome vai surgir desses partidos que comporem conosco, não vai ser uma imposição do PT, estrategicamente não será do PT, será de outro partido que compõe a nossa base com certeza e esse diálogo será entre todos os partidos que vão estar conosco.

Roberto Lara: Como a prefeitura está lidando com o funcionário público?

João Gomes: As pessoas olham o montante de arrecadação, “ta sobrando dinheiro”, mas esquecem do montante do custo, pois não tem prefeitura nenhuma no Brasil sobrando dinheiro, em todas falta dinheiro.

Professores Valorizados: Enquanto o FUNDEB de 2009 a 2015 deu um aumento aos professores de 124% mas com piso na ordem de 101%, Anápolis aumentou o salário de seus professores na ordem de 190%, ou seja nenhuma cidade no Brasil teve este feito. Temos hoje o maior piso nacional brasileiro, e temos também a maior média salarial de professor no Brasil.

Tudo isso faz com que haja essa diferença do FUNDEB que é recurso para pagar o salário do professor com relação ao que nós arrecadamos. Segundo a prestação de contas que fechou agora em Abril relativo aos 12 meses do ano passado 32% foi para a educação, quase 22% foi para a saúde, 52.6% de tudo que nós arrecadamos foi para a folha de pagamento. O limite que nós podemos chegar é 54%, se eu aumento agora o salário dos professores em 11,36%....eu tenho que chegar até o final do ano com 54%, ou seja no meu limite sob pena de ser pego pela lei de responsabilidade fiscal, é uma matemática complicada de se fazer porque na medida que eu aumento os salários, e que diminui a arrecadação a implicância desse percentual com relação a folha aumenta, então se eu não tenho perspectiva de aumento de arrecadação, automaticamente isso é um complicador.

Crise Política: Estamos fazendo gestões no sentido de melhorar a arrecadação, estamos confiantes que no segundo semestre vamos ter um aumento de arrecadação, queremos dar um aumento ao servidor da centralizada da mesma forma que demos para os professores, de forma parcelada, mas de forma responsável, manter os pagamentos em dia, estamos confiantes sobre tudo no segundo semestre, de que essa crise vai desacelerar, a grande crise hoje ela é mais política do que econômica.

Estamos trabalhando, chamando a equipe para trabalhar, todos os secretários. Porque nós entendemos que é na força do trabalho que nós vamos romper com as bênçãos de Deus.

Fausto Costa: O Professor Edergênio da rede pública através do Grupo Portal Anápolis do WhatsApp questiona a possibilidade de ser implantada as OSs em Anápolis. Existe essa possibilidade?

João Gomes: Impossível... Não no nosso caso, eu não vou avaliar aqui as OSs do ponto de vista do Estado, vou avaliar do ponto de vista municipal, Anápolis tem a sua história e sua trajetória. Portanto hoje o nível de educação que ofertamos para a população é um dos melhores do Brasil, se temos os melhores salários, também temos a melhor educação. Se temos a melhor educação, logo a população está satisfeita, não vejo motivo nenhum para implantar mudanças no que dizem respeito a este quesito no município de Anápolis, essa possibilidade inexiste.

Quanto a educação do Estado eu não discuto, não debato, debato a educação do município de Anápolis, e vou dizer a educação de Anápolis é uma das melhores do Brasil pois temos as melhores escolas, melhores instalações, todas com laboratórios de informática. Todos os professores receberam um Notebook de forma gratuita para eles prepararem as suas matérias. Nossos professores hoje têm cargo e salário de acordo com o estatuto do magistério. Os nossos alunos hoje recebem kit escolar, material escolar, uniformes. Portanto não vejo necessidade nenhuma, de pensarmos ou abrirmos uma discussão nesse campo de OS para Anápolis, aqui eu respondo que funciona, então queremos é garantir que ela se torna cada vez melhor.

Fausto Costa: A Franciele de Castro também no Grupo Portal Anápolis pergunta sobre quem passou em concurso público, e ainda não foi chamado, quando haverá novas chamadas para essas pessoas?

João Gomes: A medida que vão abrindo mais vagas, as pessoas que passaram em concursos preencherão essas vagas, em todos os concursos que realizamos fizemos as chamadas.

Fausto Costa: Existe projeto para a criação da Guarda Municipal?

João Gomes: É um projeto nosso, que está no meu coração. Caso não consiga nesse ano que está muito difícil, em função de ser um ano eleitoral, e também um ano de fechamento de governo, vai virar realidade para o próximo ano, não tenha dúvida disso. Anápolis precisa, pois entendo que com o fortalecimento da Guarda Municipal, nós vamos melhorar a sensação de segurança. Para tanto temos hoje os nossos vigias que trabalham nas escolas que não são poucos, e nossa maior dificuldade tem sido em fechar o estudo para aproveitamento destes vigias, pois todos quantos queira poderá ser um guarda municipal.

Portanto,vamos preparar, qualificar, deixar eles em condição de fazer esse trabalho, melhorar o seu salário, a estrutura para que ele efetivamente se for escolha sua, torne-se um guarda municipal.

Fausto Costa: Prefeito, Como o Senhor define sua gestão frente a Prefeitura de Anápolis?

João Gomes: Desde que assumimos em 2014 com queda decrescente da nossa arrecadação, nós tivemos que aprender a trabalhar mais gastando menos e procurando meios para ampliar a nossa arrecadação.

Responsabilidade: Estamos buscando mais eficiência na máquina de arrecadação, sem arrocho, sem ostentação, sem dificuldade para ninguém, mas buscando melhorar e qualificar e muito melhor que isso aplicando os recursos com responsabilidade. Em dois anos nós tivemos uma economia de quase setenta milhões de reais só no custeio, ou seja, é possível fazer, estamos fazendo. É muito difícil, mas a nossa equipe está focada e nos ajudando a fazer esse trabalho.

População: Que fique a população Anapolina tranquila, que os nossos servidores fiquem tranquilos, que estamos trabalhando sempre pensando neles, seja ele ativo ou inativo. Com certeza aquele que menos tem culpa é o servidor, e qualquer medida que nós tomarmos estaremos trabalhando para esses servidores, porque são eles é que prestam serviço lá na ponta, e a prefeitura é um grande prestador de serviço, seja na educação, na centralizada, todos merecem o nosso respeito e consideração. Em momento algum ninguém ouviu da minha boca que nós vamos fazer isso ou aquilo que venha a prejudicar nosso servidor e as suas conquistas.

Servidores Públicos: Tenho o maior respeito pelos servidores, e preciso deles motivados para prestar cada vez mais um melhor serviço. Hoje temos uma avaliação altamente positiva com relação à qualidade dos serviços prestados, ou seja, essa avaliação é alta é porque a população está gostando do que está sendo feito e é o nosso servidor é que presta esse serviço.

Roberto Lara: O João Gomes hoje como prefeito, como família... João Gomes por João Gomes?

João Gomes: Família, busca do coletivo, amor fraterno, cidadania, a busca de Deus e o processo do bem servir.

Família: Eu sempre fui muito família, quando fala de família mexe comigo, eu tenho 32 anos de casamento com a mesma esposa, e graças a Deus é minha companheira e com fé em Deus vamos estar juntos o resto das nossas vidas. Tenho duas filhas já formadas e casadas, e um filho que está se formando em medicina fora de Goiás. Tenho três filhos maravilhosos, e ganhei mais dois que são meus genros. E a vida inteira nós tivemos ene... filhos que não são aqueles biológicos, não são de dentro da nossa casa, mas filhos que através da nossa casa, nosso trabalho, gente da família, nós acompanhamos ao longo da nossa vida.

Valorização da Vida: Não vale a pena você viver apenas para você mesmo, não vale a pena você construir se esse construir for individual, não vale a pena você construir uma história, um cenário onde apenas você é o centro. Ao levantar de manhã, uma das primeiras coisas que você faz é escovar e olhar no espelho e ali você vê alguém, e ao voltar para casa no final do dia ou noite, você volta para o espelho, vai escovar o dente para dormir e você se olha novamente e de repente uma pergunta boa a se fazer; esse que eu vejo a noite é o mesmo que saiu de manhã? Ele voltou melhor ou pior? Essa avaliação nos leva aquela tônica de dizer que o que importa é o presente, porque o dia de hoje é o presente que Deus te deu para viver. E o quanto você fez nesse dia, melhorou a vida de alguém? O ser humano é muito egoísta de um modo geral, e no ponto de vista familiar pelo menos é múltiplo, envolve a família.

Fraternidade e Cidadania: Nós como família precisamos pensar no cidadão, naquele irmão que está precisando de nós, aquele irmão que às vezes passamos perto dele e criticamos “há olha a vida que esse cara escolheu”, será que ele escolheu aquela vida, escolheu sofrer? Ninguém escolhe sofrer, todo mundo escolhe viver e viver da melhor maneira possível. E acho que a vida que você vive pensando mais nas pessoas você vive melhor. Nós vivemos um momento hoje onde o ser humano é muito mecânico, conversamos muito mais com a máquina do que com gente, e isso te afasta do Criador, ao passo que se você se aproxima mais do homem mais próximo de Deus você está e com isso você se importa mais com as pessoas, o sofrimento alheio de repente importa um pouco mais.

Religiosidade: Eu faço essa avaliação sempre, eu me sinto mais gente hoje do que eu era antes de ser vice-prefeito e principalmente antes de ser prefeito, porque eu me aproximo mais de Deus, estou mais próximo porque é nele que busco força para minha caminhada, força para continuar aqui cumprindo essa missão que ele me deu. Porque não vou mentir não, muitas vezes você fraqueja, mas Deus te fortalece e diz; eu estou contigo.

Construção:...Nosso trabalho rende mais por que nós buscamos o coletivo, buscamos o público, hoje eu me sinto muito melhor enquanto gente do que eu era há um ano, dois anos atrás, e essa é minha busca quero ser melhor amanhã, e me sentir amanhã melhor que hoje. E é nessa construção nessa busca do dia a dia é que nós estamos focados.

Mensagem do Prefeito João Gomes:


Um pouco sobre a saúde pública em Anápolis
AQUI ››http://www.portalanapolis.net/2016/03/o-lado-positivo-da-saude-publica-em.html


Transcrição do texto: Lucieni Soares
Revisão final do texto: Antonio Oliveira

Postagens

Anterior
« Anterior
Próxima
Próxima »

Comente com o Facebook:

Comente com o Google Plus: